RECONHECIMENTO

Em sua primeira edição, iniciativa valoriza produção acadêmica de distinta relevância na Universidade

 

Autores das dissertações recebem certificação. Foto: Júlio Minasi / Secom UnB

 

Originalidade, relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social, de inovação, e valor agregado ao sistema educacional. Esses foram os critérios que levaram 61 trabalhos a serem contemplados pelo Prêmio UnB de Dissertação e Tese. Os ganhadores – autor, orientador, coorientador e programa de cada dissertação ou tese agraciada – receberam certificado em sessão solene realizada, na última sexta-feira (19), no auditório da Reitoria da Universidade de Brasília.

 

Nesta primeira edição do prêmio, foram escolhidas 31 dissertações e 30 teses. A relação completa dos trabalhos vencedores pode ser acessada napágina do Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação. Entre as teses contempladas, três foram escolhidas para ganhar o Grande Prêmio UnB de Tese.

 

Ilustração: Marcelo Jatobá/Secom UnB

  

João Batista Ferreira Júnior, ganhador do Grande Prêmio de Tese na área de Ciências da Saúde, conta que, durante os dois anos iniciais do doutorado, residia em Paracatu (MG), onde atuava como professor em um instituto federal. Para desenvolver a pesquisa, era preciso vir a Brasília duas vezes por semana e, nesse contexto, conciliar trabalho e estudos exigiu muita dedicação e esforço. “Quando soube que fui escolhido, achei que fosse brincadeira do orientador. Fiquei muito surpreso e perguntei várias vezes se era verdade. Sinto extrema satisfação em receber esse prêmio”.  

 

O decano de Pesquisa e Pós-Graduação, Jaime Santana, afirma que a iniciativa visa celebrar a pesquisa científica feita na Universidade. “O grande objetivo dessa premiação é divulgar e dar esse reconhecimento a pelo menos uma parte das pessoas que fazem pesquisa. O outro objetivo é que essas teses também sejam enviadas e concorram ao Prêmio Capes de Tese, ou seja, é uma forma de incentivar a participação dos programas de pós-graduação nessa disputa”, afirma.

 

Decano e professores eméritos celebram junto aos agraciados com o Grande Prêmio UnB de Tese. Foto: Júlio Minasi/Secom UnB

 

O PRÊMIO – As inscrições foram realizadas entre setembro e outubro do ano passado, e puderam concorrer trabalhos defendidos em 2014. A homenagem é constituída por duas categorias: o Prêmio UnB de Dissertação e Tese e o Grande Prêmio UnB de Tese. São congratuladas com o primeiro uma dissertação e uma tese de cada programa de pós-graduação nas áreas de conhecimento reconhecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes): Ciências Biológicas; Ciências da Saúde; Ciências Agrárias e Florestais; Engenharias; Ciências Exatas e da Terra; Ciências Humanas; Ciências Sociais Aplicadas; Linguística, Letras e Artes; e Multidisciplinar.

 

Cada programa de mestrado e doutorado institui sua própria comissão de avaliação, que faz a seleção da tese e da dissertação a serem agraciadas. Vale ressaltar que há possibilidade de mais de uma dissertação ou tese serem contempladas em cada área do conhecimento, já que a escolha é feita por programa de pós-graduação e uma mesma área pode ter vários programas inscritos.

 

As teses ganhadoras na primeira categoria também concorrem ao Grande Prêmio UnB de Tese, composto por três certificações que levam os nomes de professores eméritos. O Grande Prêmio UnB de Tese Lauro Morhy é voltado para trabalhos de Ciências Biológicas, Ciências da Saúde e Ciências Agrárias e Florestais; o Grande Prêmio UnB de Tese Reinhardt Adolfo Fuck vai para Engenharias, Ciências Exatas e da Terra; e o Grande Prêmio UnB de Tese Roque de Barros Laraia é destinado a trabalhos de Ciências Humanas, Linguística, Letras e Artes, Ciências Sociais Aplicadas e Multidisciplinar.

 

A escolha do ganhador do Grande Prêmio é feita por uma comissão de premiação formada por, no mínimo, três membros, aprovados pela Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade, sendo vedada a participação de docentes orientadores e coorientadores dos concorrentes. Nesta edição, o grupo foi integrado por docentes de outras universidades: André Luis Souza dos Santos, doutor em Ciências pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; Elizabeth Balbachevsky, doutora em Ciências Política pela Universidade de São Paulo; Fernando Rizzo, doutor em Ciência dos Materiais pela University of Florida e professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.