EDUCAÇÃO

Atividades lúdicas e brincadeiras auxiliam no ensino de Matemática e de Ciências da Natureza

 

 

Foto: Divulgação

 
Xadrez gigante, pintura, dança, noções de robótica, jogos eletrônicos e outras atividades criativas. Dessa forma, o Programa Infanto Juvenil (PIJ) busca maneiras originais e alternativas de aproximar crianças e jovens do universo da Matemática e das Ciências da Natureza. Nas aulas, também são utilizadas pequenas construções feitas com peças geométricas de blocos de montar.

 

Criado em 1983, o programa é vinculado à Associação dos Servidores da Fundação Universidade de Brasília (Asfub) e faz parte de projeto de extensão do Departamento de Matemática da Universidade de Brasília. Participam da iniciativa cerca de 70 crianças e jovens na faixa etária de 2 a 9 anos, dependentes de alunos e servidores da UnB. Sob consulta, o público em geral também pode ser atendido.

 

As atividades são oferecidas e conduzidas de forma lúdica, dando ênfase às experiências vividas e aos interesses da própria criança. As ações priorizam o desenvolvimento psicomotor e o potencial criativo por meio de aulas de artes, recreação, natação, acompanhamento pedagógico e outras iniciativas.

 

Movimentos do xadrez ajudam no ensino de Geometria. Foto: Divulgação

Gilberto Lacerda, professor da Universidade de Brasília e um dos coordenadores do projeto, considera as novas iniciativas pedagógicas como perspectivas transformadoras dos processos de aprendizagem. Ele afirma que as inovações imaginativas nas metodologias de ensino enriquecem as tarefas em sala de aula e estimulam, positivamente, a participação efetiva do aluno.

 

Para o docente, que possui vasta experiência em educação, toda ação pedagógica deve ter componentes agradáveis e interessantes para atrair a atenção das crianças. “Percebemos que as crianças, quando são estimuladas a participarem de atividades que possuem elementos lúdicos e inovadores, tendem a desenvolver a criatividade com muita propriedade. Tornam-se jovens mais observadores e inventivos. Sendo assim, jogos e brincadeiras devem fazer parte dos processos pedagógicos”, declara o educador. Ele acredita que as brincadeiras podem coexistir com a pedagogia tradicional sem que haja qualquer perda de qualidade na exposição dos conteúdos das disciplinas dos currículos oficiais.

Arte: Anna Soares/Secom UnB. Foto: Divulgação

 

A professora de Matemática da UnB Regina Pina também é uma das responsáveis pelo programa e considera que as práticas inovadoras servem de base para as novas gerações. O projeto educativo abriga iniciativas artísticas, científicas e tecnológicas. “Essa juventude, quando incentivada, produz resultados muito interessantes. Fazemos com que os jovens sintam-se à vontade para desenvolver todas as suas potencialidades”, afirma.

 

ESTRUTURA – O Programa Infanto Juvenil (PIJ) conta com uma escola no campus Darcy Ribeiro. Num espaço decorado com cores variadas e personagens de histórias infantis, professores e monitores da UnB oferecem diversas ações lúdico-educativas a crianças e jovens. Salas de aulas, refeitório, área verde e parque de recreação estão disponíveis aos estudantes. Todos os alunos que participam do programa comparecem às atividades em horário extra classe. Os que estudam pela manhã participam à tarde e vice-versa. Como novidade, a partir deste ano, os estudantes têm a opção de serem atendidos no período noturno.

 

Para realizar as suas atividades, o PIJ também conta com a parceria do Sesi/DF, que fornece pessoal, material didático e equipamentos para a prática das brincadeiras e jogos. Acontece, ali, a interação entre os participantes do projeto. Os jovens apresentam noções de robótica e jogos eletrônicos às crianças menores. A criançada participa das atividades com muita curiosidade e entusiasmo.

 

Serviço:

Informações:https://www.77jiang.com/pij

Fone: (61) 3307-2133 ou 3307-1024

Palavras-chave